quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Mais Alcaphones, mais guitarras.

Quinta-feira, 8 de dezembro...
Hora de abrir o rancho para receber mais uma vez o Pilão, vulgo Wagner de Negri, para mais um capítulo de guitarras para o futuro álbum debut do povo. Nessa sessão muita gente deu as caras, diversos amplificadores, guitarras e efeitos trabalharam, mas digamos que a maior parte da carga se concentrou em cima do Marshall JCM800 e da Gibson Flying V do Pilão. Usei uma caixa Marshall 2x12" aberta com falantes Celestion Vintage 30 e fiz o transporte das texturas usando o combo Cascade Gomez e Shure SM57 (sem transformador), estes enviavam tudo que ouviam ao audioFARM Electronics A312 e ao Universal Audio LA610 respectivamente, o primeiro, ainda enviava o sinal ao Manley Massive Passive e então ao Universal Audio 1176. Depois disso foi sentar a palheta, literalmente, e seguir gravando as quase intermináveis trilhas que compunham a intricada colcha de retalhos que eu havia planejado para os temas. Claro, muito bem acompanhados de uma Westmalle Tripel presente do grande Foca, vulgo André Zinelli! E claro, isso facilitou muito todo o trabalho.
Já falei o quanto sou fã do Gomez? Desde que esse microfone chegou ao rancho, este me foi trazido pelo amigo Ney Neto, quase nunca deixou de trabalhar e tornou-se parte fundamental e quase peça imprescindível ao DNA musical do que eu diria ser o "som de guitarra do audioFARM". O Michael Joly é foda! Enfim, gostaria de dizer "agora entendi!" ao que eu sempre lia e ouvia à respeito dos microfones de fita e som de guitarra. Desde que adquiri o meu primeiro microfone de fita há mais de 2 anos atrás já comprei outro e tenho mais 3 na lista!




0 comentários: