segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Assoprando!

Segunda-feira 28 de novembro.
É, esse foi um longo dia. Logo cedo e eu abria as porteiras para receber uma cambada de galera. Meu amigo Sasandro, o pessoal da banda Teto e Muro, o pessoal da banda Skabout e o trio de sopros Diego Haag, o hôme do trombone, o Luciano Prezzi, que cuidaria do sax e meu amigo maestro Sepé Tiarajú Teixeira. Missão? Captar uma série de sopros pro pessoal. Conseguir uma data com o trio foi bem complicado, eu havia convidado o pessoal para que emprestassem o talento para ambos os discos dos quais estou à frente da produção musical e eles toparam porém como seria bem complicado reunir os 3 para uma outra data em breve, tratei de resolver o assunto de uma vez só. O pessoal já havia recebido o material e idéias de antemão, de forma que as músicas eram de certa forma familiares. Iniciamos acertando e registrando o material pro disco da Teto e Muro, que apresentava mais dificuldades técnicas que o da Skabout por vários motivos, entre eles a afinação, o estilo musical, o arranjo, e o fato de que o trio já conhecia o trabalho da Skabout pois haviam participado também do primeiro EP do povo e nunca haviam visto o da Teto e Muro. Optei pela sala Maragato, mantive uma ambiência aberta e deixei-a dividida em 3 partes para obter uma melhor separação dos instrumentos. Depois de testar qual casamento de microfone/pré-amplificador funcionava melhor para o que eu procurava, a coisa ficou assim: Shure KSM44 para o trompete do Sepé enviando ao Avalon VT737sp. O Cascade Gomez ouvindo o Sax do Prezzi e enviando ao Universal Audio LA610 e então ao Universal Audio 1176. E o Manley Reference Cardioid captando o trombone do Diego e enviando ao Neve Amek Purepath CIB. Depois de fazer os últimos ajustes iniciamos a empreitada e, graças ao Foguinho, vulgo Vinicius Guazzelli, que estava sempre de ouvidos atentos, cabeça fria e com a guitarra na mão, conseguimos acertar as arestas e ajustar os arranjos para conseguirmos captar tudo que precisávamos a tempo. Depois da parte mais difícil, e isso já era lá pelo início da noite, começamos a captar as partes da Skabout, que transcorreu de forma muito mais rápida já que a afinação era mais natural ao povo e a familiaridade com as músicas era muito maior. E assim fomos até lá pelas 10 da noite quando demos por encerrada a sessão e a missão cumprida.

Forte abraço!
Life's too short for bad tones!












0 comentários: