terça-feira, 4 de outubro de 2011

Guitarras de Nero.

Mal deu pra descansar e logo cedito na terça-feira eu voltava a abrir as porteiras pra receber aqui no rancho, mais uma vez, o Ray Z e a turma da Presidente Nero. Missão? Guitarras. Logo, era dia do Bóris de Assis e do Maurício Lobo trabalharem. E este segundo é quem foi escolhido para registrar suas trilhas primeiro. Para ele, preparamos a sala Maragato com uma boa dose de ambiência e preparamos inicialmente 3 amplificadores. O Nando Pontin AC15, o Serrano Amps Classman 25 EL34 Custom Head e o Orange Tiny Terror. Tanto o Serrano quanto o Orange trabalharam bastante, cada um em sua zona de ação. A caixa escolhida foi a 4x12" da Orange com falantes Celestion Vintage 30. A cadeia de sinal foi muito direta, guitarra > amplificador. Para o transporte fui com o combo clássico Cascade Gomez e Shure SM57. O sinal do Gomez enviei ao audioFARM Electronics A312, então ao Manley Massive Passive e então ao Universal Audio 1176. O sinal do Shure SM57, meu modelo modificado, sem o transformador, enviando o sinal ao Universal Audio LA610 e então ao Massive Passive. Dessa vez porém, embora a figura de oito mais a sala mais viva tenha resultado em bastante ambiência, ainda era pouco para o que queríamos, de forma que adicionei um Shure KSM44 bastante afastado, em padrão omni, enviando o sinal ao Avalon VT737sp. Daí sim, tínhamos tudo que queríamos e agora era só sentar a palheta! O Maurício se puxou e umas 3 horas depois já tínhamos o material necessário. Hora de iniciarmos a brincadeira com o Bóris. Para ele mudamos de lado, fomos para a sala Chimango, além de mudar a seleção de amplificadores que agora seriam o Marshall JCM800 e o Serrano novamente, e mudarmos de caixas. Para as guitarras limpas utilizamos o Serrano e a caixa Serrano Amps 2x12" com falantes Jensen C12N, e para as mais nervosas, com o JCM800, utilizamos a própria caixa JCM800 com falantes Vintage 30. A cadeia de microfonação foi a mesma, exceto pelo fato de que suprimi a necessidade do microfone de ambiência. E bóra!
O Bóris também matou a pau e pouco mais de 3 horas depois encerrávamos a sessão com a missão cumprida!
Que venha aquele baixo de um tal de Geddy Lee...

P.S.: Não fosse pelo Ray, mais uma vez eu não teria fotos suficientes uma vez que esqueci de bater fotos. =/

Forte abraço!
Life's too short for bad tones!




0 comentários: