terça-feira, 9 de agosto de 2011

Pressão!

AFUNILOU GORDINHO!
Foi uma das muitas frases de "incentivo" que o André Lacet ouviu durante a sua 1ª sessão para a gravação das trilhas de baixo do 3º álbum da ZeroDoze na terça-feira dia 9 de agosto.
Eu abri as porteiras do rancho lá pelas 17 horas para receber aquele que assina a produção do trampo comigo, o Ray Z, o Alemão, vulgo Cristiano Wortmann e o Argen_, vulgo Alberto Andrade. Ou seja, todo o time.
AFUNILOU GORDINHO!
Sabe aquele mix de ansiedade e pressão? Era nisso que apoiávamos as piadas hehe. Bóra.
As 1ªs trilhas seriam com o camaleão single-ended Serrano Amps Classman 25 EL34 Custom Head em "bass mode", ou seja, 6L6 no power, ECC803 no 1º estágio, ECC802 no 2º estágio e lo-cut desativado. O sinal era enviado à caixa 4x12 Marshall JCM900A. Hora do transporte, peguei o Cascade Gomez e o Rode K2. Como eu já havia feito um pré-teste, eu sabia o que queria, mas, algo aconteceu... Por algum motivo o K2 não quis funcionar, não havia o que fizéssemos. Peguei então o Shure KSM44, um microfone bem diferente mas que tinha a característica que eu buscava com o K2, sabíamos disso devido aos testes durante as pré-texturizações. Suei um pouco... Tá... Nem tão pouco assim, para deixar o som do KSM como o do K2, e após inúmeras mudanças de pré-amplificadores, equalização, compressão, esmeradas audições, cheguei ao resultado através de um cuidadoso posicionamento da cápsula combinada com a sonoridade do Universal Audio LA610 enviando o sinal ao Manley Massive Passive. Ufa. Embora o pessoal desse de ombros e se entre-olhassem me chamando de louco com os olhos e quase a ponto de me mandar catar coquinhos na tailândia, eu segui indo e vindo e, para minha felicidade, quando terminei e disse, "agora sim tá pronto", olhei para trás. Em todos pude ver as cabeças em sinal de afirmação e o verbo/substantivo/adjetivo "bah". O sinal do Cascade Gomez enviei ao Focusrite ISA428 e então ao Universal Audio 1176, e o último sinal, vindo diretamente do baixo através do super DI Radial JDV Mk III, foi enviado ao audioFARM Electronics A312, então ao Manley Massive Passive e então ao DBX160A. Lindo!
AFUNILOU GORDINHO!
O André pegou o belíssimo Fender Precision e sentou o dedo, a palheta, ou o que quer que dessem pra ele bater nas cordas do baixo... As vezes com tanta vontade que nem a manha do esmalte funcionou e não tivemos escolha senão implorá-lo que pegasse mais leve.
Trilhas após trilha realizávamos os ajustes e seguíamos. Lá pelas tantas foi vez do Ampeg STV3 PRO e do maravilhoso Musicman Stingray do Gordinho entrarem em cena. Simplesmente transportei a captação diretamente para a caixa 4x10, fiz os ajustes e seguimos sentando a lenha, até que lá pela meia-noite dávamos como encerrada a missão do dia com 50% do material registrado...

Forte abraço!
Life's too short for bad tones!





0 comentários: