quarta-feira, 27 de julho de 2011

Projeto Pantana parte 3.

Quarta-feira dia 27 de julho.
Descansado, mas ainda cansado, nos reencontrávamos para a última parte de nossa longa jornada. Desmontamos a sala enquanto conversávamos. Era hora do João Pedro captar as trilhas de baixo. Utilizei mais uma vez o super DI Radial JDV Mk3 como plataforma para gerar os sinais. O primeiro enviei ao audioFARM Electronics A312, então ao Manley Massive Passive e então ao DBX 160A. Um segundo sinal enviei ao Universal Audio LA610 e um terceiro ao Avalon VT737sp. Pronto. Eu tinha tudo que precisava para o que der e vier. Bóra! E assim, com muita tranquilidade e atenção o João foi registrando os takes. Ao fim de umas 2 horas tínhamos o material necessário. Hora de captar as vozes do povo. Eu não sabia exatamente qual cápsula utilizar para o Kiko, mas sabia que não seria o Manley Reference Cardioid. O Kiko tem uma característica bastante brilhante de forma que eu imaginava que um microfone FET poderia resultar em um melhor desempenho, mesmo assim, conhecendo as características agressivas do Rode K2, resolvi posicioná-lo também e assim ter maior possibilidades para a mixagem e o blending do sinal. O sinal do Shure KSM44 enviei ao Neve Amek Purepath e então Universal Audio 1176 para um segundo estágio de compressão. O sinal do K2 enviei ao audioFARM Electronics A312 e a característica over-agressiva de ambos casou muito bem! Dali o sinal foi ao Manley Massive Passive e então ao Universal Audio 1176. Bóra! Mais uma vez tínhamos muito material à captar e seguimos por umas quatro horas registrando vozes. Ao término da missão do Kiko, o Pohl voltou ao trabalho para captar algumas trilhas de backing vocals e somente então, lá pelas 10 horas da noite, dávamos por encerrada a missão, os guris pegavam suas coisas da pousada, nos despedíamos e eles seguiam para uma longa viagem de volta à Santa Maria. Encerráva-se um longo início de semana que apesar de cansativo foi muito bacana e produtivo, fiz bons novos amigos, me diverti e mais uma vez aprendi bastante além de testar ao extremo a capacidade de produção.

Forte abraço!
Life's too short for bad tones!







0 comentários: