domingo, 15 de maio de 2011

Fim-de-semana Baltimore, parte 1.

Sábado dia 7... Eu acordava com o sobresalto do "alguma coisa tá errada!" E estava, eu estava atrasado! E muito atrasado! A longa noite anterior me pegou em cheio, de forma que eu simplesmente ignorei os berros desesperados do despertador que gastou a voz tentando me acordar. Entrei dentro da roupa o mais rápido que consegui e, ainda em loop, inebriado pelo sono, abri as porteiras do rancho para receber o pessoal da banda Baltimore, meu velho conhecido, Gabriel Ijuí, o Marcelo Allende, vulgo "Slashinho", o Vini Vitola, o João Paulo e o mestre Ray Z que me aguardavam impacientes. Só tinha uma forma de me redimir com o povo todo, tirando sonzão! Então bóra!
Missão? Gravar as trilhas de bateria para os 4 sons que comporão o EP do pessoal. Teríamos coisas diferentes nessa sessão. Comecei preparando o kit dentro da sala Maragato e alterei a afinação dos tambores, peguei minha caixa Ludwig Supraphonic 1969, baixei um pouco a afinação, acertei o ring com o damping, subi um pouco a afinação do bumbo. Quase pronto, sobravam algumas pequenas frequências ressonando. Acabei com elas com e-mads nas peles de resposta dos tambores que acusavam. Agora sim. O JP então foi lá e posicionou o set de pratos que seriam usados e passei à microfonação. Eu sabia o que faríamos. AKG D112 no bumbo enviando o sinal ao audioFARM Electronics A312. Bem, esta foi a segunda vez que o nosso pré-amplificador agiu oficialmente nesta tarefa. Gordo, com muito punch, grave firme e muita presença. Para a caixa, meu tradicional chapéu-anti-hi-hat-dos-infernos e meu Shure SM57 sem transformador enviando ao Universal Audio LA610. A esteira captei com outro SM57, este, a versão de fábrica, enviando ao Avalon VT737sp, que aliás, tira um belíssimo som de esteira! Para os tambores, Sennheiser MD421II enviando ao Focusrite ISA428. Para os overheads, um par de Shure KSM109 com a cápsula atenuada em formato X/Y enviando à Focusrite/Digidesign Control 24. E para encerrar, os room mics, ou microfones de ambiência, foram um par de Shure KSM44, ouvindo tudo em padrão omni e enviando também à Control 24 e então aos compressores Universal Audio 1176 que amassavam bastante o sinal. A montagem da ambiência para este trabalho foi diferente do usual, montei um inner chamber maior, com mais densidade, o outter chamber ficou assim mais "curto", menos denso e com menor RT60. De certa forma, queríamos "mais sala" nos close-mics para que pudéssemos usar menos sinal vindo dos nosso room mics e, quando usássemos, que esses fossem curtos, que fossem exatamente o que o nome deles diz, ambiências e não rooms. Tudo pronto, mixagem de fone acertada, bóra acertar as trilhas guia, estas que o Ray já trouxe previamente gravadas e acertadas, de forma que daí foi só o JP sentar a mão e após algumas passadas já estávamos gravando. Com direito à uma parada para o churrasco de almoço, lá pelo início da noite tínhamos o material registrado, porém, antes de darmos como cumprida a missão, corri em editar todo o material para nos certificarmos que não precisaríamos de takes adicionais e para que pudéssemos seguir o planejamento de produção... Daí sim, depois da confirmação, missão cumprida!

Bóra que no outro dia teríamos guitarras!
Forte abraço!
Bring me sound and I'll make you music!




0 comentários: