domingo, 15 de maio de 2011

Expresso ao-vivo e sem cortes.

E na sexta-feira passada? O que teria ocorrido? Bem, antes de mais nada, deixe-me explicar. Este é um post duplo, sai nos blogs do rancho audioFARM (http://audiofarmrs.blogspot.com) e da produtora audioFARM Productions (http://audiofarmprod.blogspot.com) pois ambas as empresas prestaram serviço na data sobre a qual escrevo. O causo foi que, sexta-feira dia 6, nos dirigíamos ao bar Chalaça de Porto Alegre para a captação do áudio e vídeo para o DVD da banda Expresso Tchê. E sabíamos que o circo seria longo mas não sabíamos que seria também tão bacana! Vou começar esmiuçando a parte do áudio. Para a gravação utilizamos nossa estação móvel de captação, que consistiu em 3 unidades Presonus Digimax FS e 1 unidade M-Audio ProFire 2626 fornecendo a pré-amplificação de microfones à nossa interface, uma placa ADAT Lighbridge que "linkava" as unidades via word-clock. Os 32 canais estavam sendo registrados pelo nosso iMac através do Reaper x64 operando em 24/48. E o fez sem parar sequer para uma água pelas 2 horas do show. O input-list era extenso. A primeira coisa que fizemos foi instalar nosso spliter passivo para que recebêssemos o sinal dos microfones antes desses chegarem aos técnicos e ao sistema de P.A. e monitor da casa/show. Para a bateria utilizamos 1 par de Shure KSM109 como overheads, em A/B captando muito de perto os pratos do kit e aproveitando ao máximo o padrão polar das cápsulas para minimizar o vazamento. No hi-hat posicionamos 1 Rode NT5. Para os tons usamos 1 par de Shure Beta 82, suas cápsulas minúsculas, sistema de presilha e padrão hyper-cardioid sempre ajudam live. Para o surdo utilizamos 1 Sennheiser MD421II. Para a caixa e esteira utilizamos 1 par de Shure SM57. E finalmente para o bumbo fomos de Shure Beta 91. O sinal do baixo captamos via D.I., assim como o do teclado e de ambos os violões. A guitarra foi microfonada com 1 SM57. A gaita captamos utilizando o próprio sistema de microfonação instalado no instrumento. Na percussão, usamos 1 Rode NT5 captando como um overhead o kit, concentrado em captar tudo menos surdo e congas, que eram microfonados individualmente, o surdo com um AKG D112 e as congas com 1 Shure KSM44 em modo bidirecional captando ambos os tambores. Ainda utilizamos mais 1 MD421II para o timbal. Todas as vozes foram captadas com Shure SM58 e para finalizar, as ambiências de público vinham através de 1 par de M-Audio Pulsar II. Após todos os ajustes, ufa. Era só gravar!
E a parte de vídeo? Então. Mais uma vez o seu Adriano Preuss e pessoal da Make Video se fez presente para a missão. Grua instalada e estação de switch posicionada e configurada. No total foram 6 câmeras, a grua, e a estação de switch para realizar toda a brincadeira.
A equipe toda, áudio e vídeo, envolveu 11 profissionais.

Foi muito bacana e ficou bonito. O público vibrou muito, a casa estava totalmente lotada, a banda afinada e tudo soando redondo, tanto dentro da casa quanto no sistema! Todos dançando e se divertindo! E eu lá... Tomando cerveja enquanto o Sasandro e o Roger administravam e se encarregavam de cuidar a estação! =)

Forte abraço!
Bring me sound and I'll make you music!

























 









0 comentários: