segunda-feira, 16 de maio de 2011

Duas moedinhas pra Teto e Muro.

E quarta?
Foi longa também. Iniciou-se com mixagens... Seguiu comigo dando aula para a turma do crudo de Homestudio no IGAP e finalmente chegou à parte fotada do dia. 23:30 horas e eu chegava ao rancho audioFARM onde me aguardavam havia 5 minutos o pessoal da banda Teto e Muro. Desta vez vinham ao rancho o André Bertonchelli, o Guilherme Borsa e o Luciano Schneider. Missão? Iniciar a captação das vozes para o álbum debut dos guris. Estamos começando a chegar à curva que precede a reta final e assim já consegue-se ter um vislumbre do resultado... E eu gosto do que vejo! Então. O Luciano tem uma textura de voz extremamente agressiva e presente, possui uma personalidade marcante e eu queria explorar isso ao máximo, sim eu queria e quero buscar tirá-lo de sua zona de conforto e fazê-lo explorar terrenos inóspitos, mas sim eu quero também mostrar o que ele sabe fazer mais que naturalmente. Tive bastante tempo para acertar tanto regulagem quanto casamento sala-microfone-pré-amplificador. Fiquei com a sala Chimango mais uma vez... "Tá, mas qual é o problema?" O problema é que está tudo muito gigante! E chegar à textura correta de voz, que fizesse frente à parede sonora do arranjo foi delicado. Como sempre, 2 estágios de compressão... Manley Reference Cardioid, Stedman ProScreen XL, Neve Amek Purepath CIB e Universal Audio 1176. Mixagem de fone acertada e iniciamos. Gravamos alguns takes. O Luciano ia e vinha para poder ouvir o feedback e sacar os detalhes. Fez mais alguns takes, corrigia os pontos fracos, testávamos variações e quando se acostumou com o microfone e regulagem... Foi golaço e as trilhas definitivas começaram a aparecer. O Luciano interpreta com ferocidade as trilhas e chama na goela mesmo! Bonito de ver, a ponto do pessoal se perguntar... "Não tá muito pesado?" hehe. =)

Forte abraço!
Life's too short for bad tones!




0 comentários: