segunda-feira, 25 de abril de 2011

Solando com a Teto e Muro parte 1.

Mazaaaaah!
Páscoaaaaa! Feriado? Que nada, como já diriam os amigos Nei Neto e Marcel Van Der Zwam. De forma que eu fiz o que? Gravei guitarras, mais precisamente, os solos do futuro álbum debut da banda Teto e Muro. Então, sábado, lá pelas 13 horas, e eu abria as porteiras do rancho para receber o Foguinho, vulgo Vinicius Guazzelli. Ele vinha atucanado e ansioso pra "aquele outro sinônimo para tico" e me presenteou com uma caixa de bombons!!! Logo em seguida juntou-se à nós o Guilherme Borsa. Então, fomos direto acertando a coisa. Dessa vez optei pela sala Chimango. O motivo principal era o fato da maior densidade da ambiência da sala. Como eu queria captar boa parte da ambiência, eu queria uma sala bastante densa. Dessa forma, deixei a sala totalmente aberta com a 4x12" Marshall JCM900A ao centro da sala. Para o transporte peguei o Cascade Gomez e enviei seu sinal ao audioFARM Electronics A312 com o Universal Audio 1176 vindo logo em seguida na cadeia do sinal. Peguei ainda um Shure SM57, sem transformador, e enviei o sinal ao Universal Audio LA610 e novamente com um 1176 lindo logo em seguinda na cadeia. O amplificador escolhido para a empreitada foi o Mesa Boogie Dual Rectifier Road King. Gravamos o sinal de forma totalmente crua e direta sem nenhum efeito, exceto pelo Fulltone Fulldrive 2 Mosfet. O objetivo era transportar da forma mais transparente possível a pegada e a sonoridade do Foguinho e do instrumento, com todas as "imperfeições", a naturalidade e a parte real da performance.
E assim foi! Conforme o tema pedia, alterávamos as regulagens. E daí foi fácil, o Foguinho sentou a lenha e só paramos no início da noite porque o Foguinho não tinha mais dedo, eu não tinha mais ouvido e meus coroas não tinham mais paciência pra esperar por mim ao churrasco do feriado hehe.

Forte abraço!
Life's too short for bad tones!




0 comentários: