domingo, 6 de março de 2011

Cavoca Sandrinho!

Hoeohehoeohehoehoe
Sexta-feira?
Esse sim foi um longo dia. Lá pelas 16 horas e eu abria as porteiras pra receber o Guilherme Borsa. Missão? Finalizar a captação das trilhas de baixo para o disco da banda Teto e Muro. O Guilherme veio armado novamente de sua Line6 Bass Pod XT Live e baixos Ibañez Soundgear, D.C.C. Custom e Cort Curbow. Sabíamos que iríamos longe então não pestanejamos, deixamos a ceva gelando, botamos a carne na geladeira até o pessoal chegar e bóra! Preparei a mesma configuração de sala e transporte que a sessão anterior, Marshall JCM900A ao centro e uma ambiência mais neutra. Como cápsulas preparei o Cascade Gomez e o Manley Reference Cardioid. O sinal era gerado no Pod e dali ia para um D.I., e do D.I. o sinal ia ao amplificador, no caso, o Serrano Amps Classman 25 EL34 Custom Head em bass mode (ECC803/ECC802, 6L6GC, loop de negativação ativado, hi-pass desativado; mas confesso que dessa vez utilizei também as EL34 e digo... Ficou legal!), e também diretamente à um dos pré-amplificadores. Qual ia plugado em qual? Como na última sessão, mudava constantemente, exceto pelo Manley que permaneceu fixo no Neve Amek Purepath CIB, enquanto o sinal direto do D.I. e o Gomez alternavam entre o Avalon VT737sp e o Universal Audio LA610. Os compressores Universal Audio 1176 e o DBX 160A apareciam constantemente, horas comprimindo o sinal de um dos microfones, horas o sinal direto do D.I., assim como o BBE Sonic Maximizer 882i, o rack T.C. Electronics M-One também aparecia constantemente, horas no loop de efeitos do cabeçote, horas no signal path do D.I. Foi uma senhora bagunça mas foi muito legal!
Enquanto sentávamos a lenha chegou o resto do povo, o Foguinho, vulgo Vinícius Guazzelli, o Eduardo Polidori e o Luciano Schneider. Obviamente junto de muito bate-papo e cervejada fomos matando os temas um à um, até que a fome falou mais alto e paramos para a hora da churrascada quando o capanga avisou que tava pronto! Gente, é foda explicar, rimos muito, mas muito mesmo, contamos muita história e é uma delas que dá título ao post hehe, mas é impossível contar o causo...
Enfim, após o churrasco voltamos ao estúdio para finalizar o trampo e seguimos metendo ficha até as 4 da matina quando finalmente diríamos "missão cumprida!". Mas não antes de criar um som para a piada da sessão, bagunçarmos bastante com um pitch-shifter e com algumas edições... E quando doía de tanto rir, e com personagens e histórias novas para o folclore local... Daí sim, terminamos! O Guilherme matou a pau novamente!

Forte abraço e agora que venha o seu André!
Life's too short for bad tones!




0 comentários: