domingo, 6 de fevereiro de 2011

Violas com a Vera Loca parte 1.

Quarta-feira...
Dia de voltar a receber o pessoal da banda Vera Loca. Missão desta vez? Iniciarmos as captações de violões para o disco. E a galera, como já parece de praxe, veio equipada até os dentes. Um violão Martin do Ray Z, coisa mais linda e o melhor instrumento que já captei até hoje disparado, um violão Taylor, um Giannini do fim da década de 60 e um Takamine 12 cordas. Aí dava pra ver que ia ser fácil. Voltando... As 10 da matina eu abria as porteiras do rancho pra receber a trupe, Ray Z, Diego Dias e mais tarde, o Mumu.
Rápido bate-bola e borá. Optei pela sala Maragato pois eu queria usar e abusar da ambiência natural e "colar" os instrumentos em uma mesma "realidade" digamos assim. Dei de mão em 3 cápsulas. 1 Shure KSM109 enviando o sinal ao Neve Amek Purepath CIB, 1 Rode NT5 enviando o sinal ao Universal Audio LA610 e o Manley Reference Cardioid enviando o sinal ao Avalon VT737sp. Como eram dois violeiros e diversos violões diferentes, obviamente os ajustes eram constantes, mas ouveram 2 ajustes menos técnicos e mais musicais que valem bastante a pena o comentário. Houveram digamos, 2 estilos de captação, um estilo que eu chamaria de "mais rítmico" e um que eu chamaria de "mais harmônico". Conforme ía ouvindo as trilhas e conversando com o pessoal, descobri que as linhas "meio-que" seguiam dentro desses 2 "estilos". No "mais rítmico" nós tinhamos trilhas mais pulsantes em que os violões tomavam o papel nítido de trabalhar a parte rítmica do arranjo, para estes, aliviei na compressão dos transientes iniciais e ajustei em sync tanto attack quanto release dos compressores para que pulsassem junto das figuras dominantes de cada tema, criando uma sensação de level pump que ajudava bastante o groove. No segundo, o estilo "mais harmônico", fiz o contrário, como as trilhas nitidamente trabalhavam mais para a parte de pad dentro do arranjo, ajustei os compressores para que atuassem bastante sobre os transientes iniciais enquanto eu trazia o tail para cima, intensificando a sensação de pad. Ficou lindo de se ver! Em ambos, como disse, procurei captar muito da ambiência natural junto do instrumento e por isso deixei a sala totalmente aberta e natural, e, se ainda vale citar, violões e compressores estilo opto- são meus preferidos, principalmente unidades estilo LA-X.
Lá pelo início da noite nos despedíamos para continuar no próximo dia.

Forte abraço!
Life's too short for bad tones!












0 comentários: