segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Baixando a lenha na Vera Loca parte 1.

Quer um combo mortal pra não conseguir manter o blog atualizado? Poe aí na conta, trabalhar de segunda a segunda e pegar uma gripe daquelas que é quase impossível pensar! É tô assim =/
Mas vamos nessa que eu não me rendo assim tão fácil!
Segunda-feira era dia de receber o pessoal da Vera Loca. Missão? Baixos. Lá pelas 10 da matina e eu abria as porteiras pra receber o Ray Z e o Mumu. Deixa eu adiantar e dizer que foi uma das sessões de baixo mais divertidas que já fiz por 2 motivos, 1º porque o som ficou um absurdo e 2º porque foi realmente muito divertido. Deixa eu me adiantar e já agradecer o meu companheirão James, da banda Draco, por fazer mais uma vez o empréstimo do pedal/pré-amplificador Meteoro MPX500. Este é um excelente equipamento e serviu como nossa plataforma de geração de timbres com suas 3 saídas. Peguei a saída paralela e criei meu "canal seguro" digamos assim, plugando diretamente no DI do Universal Audio LA610. A 2ª saída, com o sinal do pré-amplificador, mandei diretamente ao DBX160A, dali enviei à um dos canais da Focusrite/Digidesign Control 24. O 3º sinal enviei ao Serrano Amps Classman 25 EL34 Custom Head em "bass mode", ou seja, ECC803+ECC802 nos estágios de pré-amplificação, loop de negativação ativado e regulado para válvulas 12AU7, 6L6GC no power-amp e low-cut desativado. Enviei o sinal à Marshall JCM900A no centro da sala Maragato totalmente aberta, ali posicionei 2 cápsulas, o Cascade Gomez enviando o sinal ao Avalon VT737sp e o Manley Reference Cardioid enviando o sinal ao Neve Amek Purepath CIB. Bem, confesso... Não havia até então usado o Manley para tal empreitada, não sei bem ao certo o porque... Mas acredito que principalmente muito mais por medo que por qualquer outro motivo. Dessa vez não quis saber, atenuei a cápsula e "taquei" ele ali... Para o deslumbre de todos, ficou maravilhoso! Após ouvir o som tive uma mistura de surpresa e não-supresa... Sei lá. Enfim, ficou assim. Baixo > UA LA610, Baixo > MPX500 > Control 24, Baixo > MPX500 > Classman > 4x12" > Cascade Gomez > Avalon, e Baixo > MPX500 > Classman > 4x12" > Manley > Neve.
Baixo à ser usado? Fender Jazz Bass, lindo! Próximo passo? Rápida analise de texturização em diversas referências, traçado o plano a seguir, fiz os ajustes e bora! Senta o dedo e a palheta aí! E daí foi fácil, conforme vinham as trilhas eu realizava os ajustes, hora dando mais saturação ao pré-amp, horas saturando mais o Classman, horas adicionando o Fulltone Fulldrive 2 Mosfet ao sinal, horas adicionando um segundo estágio de compressão ao sinal dos microfones via Universal Audio 1176. O Mumu matou a pau e no fim da sessão estávamos na frente do cronograma, mas isso não significava que iríamos descansar e sim adiantar o trampo.

E foi isso! Um forte abraço!
Life's too short for bad tones!














1 comentários:

Luis Filipe disse...

Aee grande dia de gravação!!
Viva o blog!!
Abraço