domingo, 23 de janeiro de 2011

Um arsenal de guitarras!

Quinta-feira. 9:30 da manhã. Abriam-se as porteiras. Eu voltava a receber o pessoal da Vera Loca. Missão? Iniciar a captação das guitarras. Guitarristas de plantão... Que loucura!! Este é sem dúvida nenhum o maior arsenal de guitarras que eu já tive à disposição para uma produção! Bem... Não sei nem por onde começar direito listando o input-list... Mas vamos nessa.
Desta vez vieram somente o Ray Z e o Hérnan Gonzalez e fomos logo movendo tudo que tínhamos à disposição para a sala Chimango. Ficou assim, amplificadores disponíveis: Fender Blues Deville, Marshall Plexi MKII, Mesa Boogie Dual Rectifier Road King, Orange Tiny Terror e Serrano Amps Classman 25 EL34 Custom Head. Caixas tínhamos três: Marshall JCM900A, Serrano Amps 2x12" com seus falantes Jensen e o Fender Deville e seus falantes Fender (feitos pela Jensen). Guitarras tínhamos muitas: Fender Stratocaster, Fender Telecaster, uma Brian May Custom, uma Gibson Les Paul Standard, uma Gibson Les Paul Custom, uma Gibson Flying V e uma Rickenbacker. Efeitos? Nossa... Muitos, entre eles o Fulltone Fulldrive 2 Mosfet, duas edições do Ibañez Tube Screamer originais, a TS-9 e o TS808. Um EA Big Muff Pi original da década de 70... Nossa, muita coisa! Tava lindo de se ver!
Fizemos um rápido check-list e começamos tirando todas as sonoridades que usaríamos do Fender Deville e seus quatro falantes de 10". Peguei três microfones para o transporte, o Cascade Gomez, enviando o sinal ao Universal Audio LA610, esse seria nosso "carro chefe" digamos, lembro, o objetivo é um som transparente, orgânico e natural, como o Gomez sempre carrega junto de seu DNA parte parte da ambiência, dado seu natural padrão polar em figura de 8, isso, aliado a maciez e "gordura" naturais aos microfones tipo ribbon, faziam dele a opção perfeita. Junto dele ainda posicionei meu Shure SM57 sem transformador, enviando o sinal ao Avalon VT737sp e peguei um Sennheiser MD421II e enviei seu sinal ao Neve Amek Purepath CIB. Nestes busquei características distintas que pudessem acrescer ao sinal do Gomez para criar texturas diferentes caso/quando/como precisássemos. Depois de todo o circo montado e no ar, daí foi fácil. Senta a mão aí Hérnan!
E a coisa foi ficando muito massa. Trilha após trilha, fazendo os ajustes necessários e fomos mandando ver. Lá pelas 16 horas cumpríamos a missão da sessão e nos despedíamos...

Forte abraço!
Life's too short for bad tones!










0 comentários: