quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Sol... chuva... churrasco... Mandala.

Terça-feira...
10 da matina e abriam-se os portões do rancho. Novamente recebendo o pessoal da banda Mandala, dessa vez representados pelo Kiko Prata, pelo Everton Acosta, pelo Nando Áres e pelo produtor do projeto, Ray-Z. Missão? Dar continuidade à captação das trilhas de dois novos singles da banda. Uma parte do material já havia sido préviamente captada, logo, a primeira coisa que fiz foi importar esse material e acertar rapidamente a sessão. Já havíamos combinado previamente, de uma forma rápida, o que estaríamos captando, de forma que eu sabia que novamente usaria dois setups distintos. Logo ao chegarem, aquele bate-bola rápido, discutimos como faríamos e o que buscávamos. Bóra! Pedi ao Ray para ficar "dando uma banda" dentro da sala Maragato com o violão (um Martin, puta instrumento!), enquanto eu ouvia como ele soava. Achado o "ponto doce", acertei a acústica e iniciei o transporte da textura. Optei pelo Manley Reference Cardioid e por um par de Shure KSM109 com o objetivo de ampliar o leque de opções. Após alguns ajustes no posicionamento do Manley, enviei o sinal ao Avalon VT737sp. Os KSM109, após ajustado o posicionamento, enviei os sinais ao Neve Amek Purepath CIB e ao Universal Audio LA610, buscando características bem distintas na sonoridade de ambos. Ouvimos um pouco... Eu ainda não estava satisfeito... O sinal vindo através do LA610 estava do meu agrado, mas os demais estavam com um range dinâmico muito grande. O Avalon simplesmente não era ágil o suficiente para segurar os transientes mais rápidos. O Neve conseguia, porém, o nível de distorção e os artefatos oriundos do processo de atenuar uma boa dose de dBs, para aquela aplicação, e se tratando de um instrumento acústico, eram um pouco demasiados e ríspidos demais para meu paladar, de forma que preferi estabilizar o sinal com uma compressão mais lenta, controlada e natural, e somente então fazer uso de um segundo estágio de compressão, dessa vez sim, com um compressor FET rápido o suficiente pra domar até o mais indisciplinado transiente, e, tratando exclusivamente destes... Que entre os Universal Audio 1176! Daí sim. Tínhamos som! Puta som! Senta a palheta aí! Parte 1 da missão cumprida. Bóra! Hora das guitarras limpas. Caixa 2x12" Serrano Amps Jensen C12N, amplificador Serrano Amps Classman 25 EL34 Custom Head e guitarras, muitas guitarras. Criamos umas 3-4 texturas diferentes e nos reposicionamos para a sala Farrapos. Desta vez parti para um aproach mais minimalista no transporte e optei por utilizar somente o Cascade Gomez e um Shure SM57 sem transformador. O Gomez enviando ao Neve Amek Purepath CIB e o SM57 enviando ao Avalon VT737sp. Estavamos bem servidos de instrumentos, Schecter Omen, Gibson Les Paul Custom e a Rickenbacker do Ray, aspas nesse trecho. Preciso confessar pois pequei... Que inveja dessa guitarra! PQP! Sonzera monstra! Voltando... Trilha após trilha, com pequenos ajustes fomos matando o material, e tinha bastante. A única alteração se deu quando ouvi o famigerado som da Rickenbacker e passei a enviar o sinal do Gomez ao Universal Audio LA610 ao invés do Neve. Parte 2 da missão cumprida. Aaa, tô quase esquecendo. No meio disso tudo, rolou uma churrasqueada feita pelo Capanga, vulgo Eduardo Sarrafo que quase aposentou a gurizada mais cedo. Mas recuperados da tristeza pós rango (e chuva), bóra! Hora do Kiko cantar. Voltei à sala Maragato. Acertei a acústica e posicionei os microfones, optei pelo Manley Reference Cardioid enviando ao Neve Amek Purepath CIB, pelo Neumann U87ai enviando ao Avalon VT737sp e, como room mic, pelo Rode K2 enviando ao Universal Audio LA610 (oO? alguns farão... Eu explico. Eu buscava uma sonoridade agressiva e saturada de sala, sim, imaginem um patch "room" sendo enviado à uns 2 estágios de saturação valvulada... Digamos que eu queria garantir um pouquinho mais de testosterona para a sonoridade de voz e, consequentemente, para a ambiência da voz). Aqui mais uma vez, optei pela técnica e uso de 2 estágios de compressão. Berra aí! Após alguns takes de bons berros... Missão cumprida! =) Todo mundo gordo, rolando e faceiro. Lá pelo início da noite encerrávamos a sessão. Corre que no outro dia ainda tinha mais!

Forte abraço!
Bring me sound and I'll make you music!

















0 comentários: