domingo, 31 de outubro de 2010

Baixando o sarrafo na Start Select!

Aeeeeee!
Sabadão... Dia de voltar à abrir as porteiras do rancho e receber um ansioso Yuri Pospichil para iniciar as captações das trilhas de baixo para o futuro disco debut do pessoal da banda Start Select. Eram 14 horas quando chegavam por aqui o Rafael Zucatti, o Yuri, o Rodrigo Dias e o Will. Bem, vocês já sabem da missão, então bóóóra!
Rápido bate-bola, discutimos o plano e comecei a montar o setup da sessão, que ficou muuuuuito legal, bonito e interessante! Comecei acertando o Camaleão, sim, esta é a nova alcunha que dei ao amplificador Serrano Amps Classman 25 EL34 Custom Head. Para a empreitada pûs ele em "bass mode" hehe, Teslas ECC803 e ECC802 no 1º e 2º estágios de pré-amplificação respectivamente. No power amp, um par de 6L6GC. Loop de negativação ativado e acertado para uso de válvula 12AU7. Posicionei então a 4x12" Marshall JCM900A dentro da sala Maragato, totalmente aberta e ao centro, e deixei o Yuri pirando na batata só ele e o amplificador. Após brincar um pouco e termos uma idéia nos reposicionamos dentro da sala Farrapos, o sinal do baixo foi então separado em 3 vias distintas: 2 sinais de linha, 1 totalmente limpo, sendo enviado ao Universal Audio LA610, 1 passando pelo pedal pré-amplificador Meteoro MPX500, que gosto bastante e que me foi gentilmente cedido pelo grande amigo James da banda Draco, desde já valeu à mão, este sinal foi enviado ao Avalon VT737sp, e, por fim, 1 sinal sendo enviado ao amplificador dentro da sala. Lá dentro, realizei o transporte com 2 microfones, o Cascade Gomez enviando diretamente à um pré-amplificador da Focusrite/Digidesign Control 24 e 1 Sennheiser MD421II enviando ao Neve Amek Purepath CIB. Ainda deixamos em standby no circuito o Fulltone Fulldrive 2 Mosfet ativando-o conforme necessário. E daí começou a festa. Armado do seu Giannini Super Sonic, muito bem regulado e absurdamente silencioso, demos início às captações. Tema à tema, íamos conferindo os registros das pré-produções e minhas notas nas planilhas de produção e assim, fazendo os ajustes necessários à cadeia de sinal adequando a sonoridade ao tema e/ou trilha em questão. O Yuri aniquilou a pênis pois, embora fosse realmente uma quantidade quase sobrenatural de material, ele conseguiu dar um jeito de matar 50% da missão em uma única sessão, sempre com a atitude, feeling e groove corretos! E lá pelas 22 horas, cansados e com fome, demos por encerrada e sessão. Hora de ir pro buteco e os guris de fazer uma longa viagem de volta hehe.


Forte abraço!
Bring me sound and I'll make you music!


























Leia Mais…

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Jujuuuuuuuuu! \o/

Aeeeeeeeee!
Ok, todo mundo sabe que por aqui post sobre Juju é tão musical quanto música...

Não era nem anteontem e eu estava reclamando... "Porra. Preciso de mais Juju...". Estava inclusive me programando para dar um pulo no parque Redenção e procurar alguma magia negra da boa por lá hehe. E não é que fui buscar meus velhos no aeroporto e dar-lhes uma carona até aqui o rancho e acabo ganhando de presente de aniversário atrasado... Adivinhem?!

Jujuuuuuu!
Novinho em folha! Entupido de macumba! hehe.
E olha que a vaquinha é boa no sacolejo! Eu confesso que procurava uma dessas a mais de ano quando não consegui roubar a do meu amigo João Aiub em janeiro passado. ><

Valeu pai e mãe!
Bring me witchery and I'll make you a voodoo!




Leia Mais…

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Mais percussões!

Nem sei mais como começar os posts hehe, sempre acabo começando igual. Vou começar ao contrário então...
Eram perto das 19 horas quando saíram daqui o Igor Pacheco e o Marquinhos. O que fizemos? Captamos percussão... Muita percussão! Iniciamos a sessão captando timbal, e para tanto utilizei o Manley Reference Cardioid e o Neve Amek Purepath CIB. O pessoal tinha os grãos da ampulheta contados e muito material à registrar, de forma que demos um golão de ar e nos atiramos ao trabalho. Tudo pra dentro da sala Maragato. Após as trilhas de timbal reposicionei o Manley de forma que eu pudesse utilizá-lo para captar a infinidade de outras percussões que tínhamos de registrar, e, conforme íamos alterando os temas e/ou instrumentos, eu ia ajustando o Neve, tanto equalização quanto compressão. Nesse padrão captamos como eu disse, uma infinidade de instrumentos, entre eles, pandeiro, diversos shakers diferentes, diversos caxixis diferentes, blocks, cowbells, triângulo, meia-lua e agogô de madeira. Depois foi a vez das congas, enquanto o Marquinhos ajustava a afinação, posicionei um par de Shure KSM44, acertei a compressão no Universal Audio 1176 e bora! Foi mais ou menos nessa hora que chegava por aqui o Sasandro. Aproveitei que ele estava por aqui e logo após finalizar a captação das trilhas de conga necessárias, era hora de captar uma zabumba. O Sandro ouviu um pouco o instrumento, ajustou o damping necessário e usou novamente o par de Shure KSM44 para o transporte. Não preciso dizer que o Marquinhos matou a pau e, embora a quantidade de material fosse enorme, fez a coisa toda parecer rápida e fácil com uma noção de tempo impressionante e muito sacolejo! Com um ouvido nas guias, outro nas referências, e um olho nas observações que o produtor do trabalho, o amigo Rodrigo Bitarello, enviara, uma a uma as trilhas foram sendo vencidas...
E no fim! Batalha vencida!

Um forte abraço!
Bring me sound and I'll make you music!






Leia Mais…

audioFARM Productions Intro.

Ae pessoal!
Acabou de sair mais um post no blog da audioFARM Productions. Dessa vez é sobre o 1º vídeo teaser/intro que apresentará a marca nas produções da empresa. Corre lá e confere!

http://audiofarmprod.blogspot.com



Forte abraço!
Bring me sound and I'll make you music!

Leia Mais…

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Batendo num record!

Ae,
Na terça-feira passada abri o rancho cedito... Ás 13 horas, para receber o pessoal da Start Select e dar início à captação das baterias pro disco debut do povo. Eles estavam com a alma tranquila até eu terminar de explanar o plano hehe, foi daí que pretiô as banana do povo. Eu explico... Missão? Gravar as baterias para 16, sim, 16 temas, em uma única sessão... "Mateus... Isso é suicídio!" Pois é, mas as circunstâncias não nos ofereceriam oportunidade diferente sem perdas catastróficas, de forma que seria muito mais vantajoso encarar as dificuldades e problemas de uma sessão de mais de 8 horas. Com os olhos praticamente fora das órbitas demos início ao trabalho que teve não mais que uma única parada para aliviar a ansiedade do bucho por 30 minutos... No fim das contas, o resultado foi longe de catastrófico. O Tiago, vulgo Tiaguinho, no maior paudurismo entendeu e encarou o desafio. Não pestanejou e em meio aos contratempos e dificuldades não deixou a peteca cair e completou a missão em tempo e com um ótimo material! Vamos à parte técnica da coisa. Na noite anterior, preparei o kit. Optei pela sala Maragato novamente, mas dessa vez busquei em especial uma sonoridade dos microfones de ambiência e overheads bem diferentes. Primeiramente eu queria os overheads bem focados, pois os utilizarei com uma pegada toda especial e muito forte nesse trabalho, uma vez que concentrei muita energia do arranjo de bateria no trabalho de pratos dos temas. Assim, fechei muito a sonoridade do kit criando uma mini-sala com a menor densidade possível. Funcionou. Daí fui atrás da sonoridade da ambiência. Acertada a sala, a mentalidade era a mesma, eu não podia captar a ambiência com muita sonoridade de pratos pois eu queria o foco da sonoridade dos overheads, eu não queria a rispidez de agudos dos pratos que selecionei na sonoridade dos microfones de ambiência, mas queria o brilho, de forma que um simples corte ou atenuação, ou até uma compressão nas altas, não resolveria o meu problema como eu queria... Obviamente por isso, apanhei um pouco (muito) até achar o posicionamento adequado e uma forma de isolar a mini-sala criada dentro da sala Maragato... Após um tempo, trabalhando a altura dos rebatedores da mini-sala + a altura do posicionamento dos room mics e voilá! O terceiro ponto interessante do trabalho ficou à cargo da sonoridade de caixa. Para o disco inteiro optei por minha Ludwig Supraphonic '69 afinada média-alta. Além do tradicional Shure SM57, utilizando o meu chapéuantihihatdosinfernos e enviando ao Neve Amek Purepath CIB para então enviar ao Universal Audio 1176, posicionei também um Shure KSM109, com a cápsula atenuada, enviando ao Avalon VT737sp. O bumbo foi captado com um AKG D112 com o sinal sendo enviado ao Universal Audio LA610 e logo em seguida ao Universal Audio 1176. Os tons foram captados com Sennheiser MD421II, aqui, trabalhei bastante alterando a quantidade de damping aplicada aos tambores dependendo do tema à ser captado. As alterações dinâmicas e de sonoridades dos 2 sets de hi-hat usados me fizeram captá-los com um Shure KSM109, também com a cápsula atenuada, enviando à um dos prés da Digidesign/Focusrite Control 24 para então enviar à compressão do DBX 160A. E foi isso!
Lá pela meia-noite eu expulsava o Will, o Rafael Zucatti e o Tiago daqui... Eles tinham uma longa viagem pela frente e eu que desmontar um belíssimo set cujo som me deixou orgulhoso! Que venha o Yuri!

P.S.: Para registro, este ano eu havia registrado o record de temas captados em uma única sessão aqui no rancho, tendo registrado os 14 temas do disco do Lucas Restori e 2 temas do EP do Émerson e Tiago. 2 takes por tema com direito à alteração de microfones, pratos, caixas e peles...

Forte abraço!
Bring me sound and I'll make you music!

















Leia Mais…