terça-feira, 15 de junho de 2010

Fazendo os baixos da Skabout.

É, dessa vez foi muito corrido o dia para que desse tempo de escrever o post no mesmo dia da notícia, mas enfim, escrevo sobre ontem, segundona, dia em que eu voltava a receber o pessoal da banda Skabout, desta vez, para finalizar as captações de bateria iniciadas no dia anterior e ainda realizar as captações de baixo aproveitando a folga do pessoal. Lá pelas 16 horas eu abria as porteiras do rancho para receber os amigos André Lobo, armado de seus 3 baixos e demais acessórios, e o Felipe Grahl. Com a sala, kit e setup todo preparado para as sessões de bateria, fiz uma rápida leitura para poder fazer o recall mais tarde e era hora. Após um rápido bate-papo, uma rápida audição do material e planejamento, e era hora de meter ficha. O André já tinha o arranjo das linhas bem resolvidos então a coisa seria bem rápida, aproveitei e pûs ele no trabalho, fazendo-o registrar 3 takes por tema, com 3 texturas diferentes. Os temas possuem diversos climas diferentes e não queria ficar "preso" à uma sonoridade apenas. Regulei o Avalon VT737sp, o Universal Audio LA610 e o Focusrite ISA428 e entre cada tema, e cada camada, fazíamos os ajustes quando necessários, hora no instrumento, hora nos channel strip, hora nos efeitos, entre eles, utilizamos o Line 6 Bass Floor POD, aliás, ferramenta que adorei! O legal é que desta vez pude perceber bem algumas características legais. Definitivamente, o Focusrite foi o pré-amplificador que soou mais clean e "transparente". O LA610 foi com certeza o mais colorido deles, agressivo e presente como sempre, enquanto o Avalon soava bem macio. Enquanto registrávamos os últimos takes chegava "o exterminador de mutucas", vulgo Cesar Cogo, ou Mário, hehe. Finalizamos os baixos, fiz um rápido recall, reposicionei os microfones, alteramos os set de pratos do kit para um set também brilhante, porém mas explosivo e nervoso, hi-hat Wuhan S 14", crash Wuhan S 18", splash Sabian Signature Portnoy 9", china Wuhan Traditional 18" e ride Zildjan Avedis Ping Ride 20", mudamos a caixa para minha Ludwig Supraphonic 1968, esta, equipada com pele mono filme porosa mais fina, afinada alta e com um belo ring junto da sonoridade e do ataque fundamental. O restante do input-list permaneceu igual como à sessão passada, exceto por pequenos ajustes. O Cesar matou a pau e rapidão tínhamos todas as trilhas de bateria registradas. O André ainda teve uma idéia muito legal e acabamos por fazer uma pequena alteração em uma das linhas de baixo de um dos temas para daí sim, declarar missão cumprida, quando o relógio marcava o início da terça-feira.

Um forte abraço e até a próxima!
Bring me sound and I'll make you music!

0 comentários: