quinta-feira, 4 de março de 2010

Gaita, edições e pré-produções.

Mazaaah!
Eita que essa última segunda foi corrida! Porém, como não teve tantos detalhes técnicos assim, não há necessidade de multi-posts, logo, resumirei todos os trabalhos do dia nesse post. Semana passada eu havia comentado com o Andy, durante as mixagens da dupla Andy e Mauricio, sobre o trabalho que estou fazendo com o Cartel da Cevada, e em particular, sobre uma idéia que tive... Mostrei a ele o material e ele prontamente se prontificou em dar aquela força. Mas não pensei duas vezes, combinamos e pedi a ele para pôr no carro sua gaita. Gentilmente, logo pela manhã, lá pelas 11 horas, ele chegava aqui pelo rancho, armado da gaita, e pronto para me ajudar a arranjar e compor um trechinho "meio-que" surpresa para um dos temas da trupe do cartel. E foi muito tranquilo. Ele já conhecia a idéia, já tinha bolado um plano logo após as primeiras audições, e assim, após dois ou três takes, improvisando sobre a idéia base, já tínhamos um material muito legal. Complicado seria escolher depois hehe. O mais afú foi tirar o som da gaita. Aqui, deixe-me fazer uma pequena pausa para explicar algo que aprendi essa semana...
Eu, e alguns de vocês, já devem ter lido em algum lugar, um produtor, engenheiro ou músico, comentando algo do tipo, "...e acabamos por usar a trilha da pré-produção...". Pois é, eu nunca dei a devida importância a esse mero "detalhe", pois deveria. Experiência adquirida foi o que fez estes profissionais falarem isso. Pois não é que ouvindo as pré-produções do cartel, em um dado tema, ao ouvir um trecho em especial me bateu o pavor, "meu Deus eu perdi esse take...". Pois é, as pré-produções foram todas elas captadas somente com um Shure KSM44 ouvindo a sala... Da próxima vez, ao menos a voz captarei "valendo". Pois bem, lição aprendida... "Não Andy, vamos fazer valendo... Não quero arriscar". Hmmm, sala pequena, aberta, reverberante e densa, logo, optei pela sala Chimango e peguei o Manley Reference Cardioid para a tarefa, um microfone detalhista e ao mesmo tempo "grande". Posicionei ele um tanto quanto afastado para pegar bem "toda" a gaita e a uma distância suficiente para conter a quantidade de ambiência que eu queria. Ainda gravei o JTS instalado internamente captando a "baixaria" da gaita do Andy. Ficou muito bonito, grande e natural! Missão 1 cumprida! O resto da tarde foi-se editando o material da Cartel.






Fiquei em função até quase o fim da noite, quando lá pelas 22 horas chegavam por aqui a turma da Start Select, dessa vez sem se perder hehe, para o segundo encontro de nossas pré-produções. Shure KSM44 neles... "mas Mateus tu não acabou de falar que...", sim, eu captei a voz individualmente! ;)
Fomos arranjando e pré-produzindo até as 3 da matina e daí sim, fui obrigado a entregar os pontos e rumar à cama.










Um forte abraço!
Bring me sound and I'll make you music!

0 comentários: