quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Transformerless SM57 e Cascade Gomez.

Mazaaah!
De volta aos testes.
Bem, havia algum tempo que eu havia finalizado um certo projeto e comprado o Cascade Gomez, porém, eu não havia tido tempo para realizar os testes comparativos necessários para futura análise. Pois bem, primeiramente pude testar o Cascade Gomez Michael Joly Edition com o Serrano Amps Classman 25 EL34 Custom Head. Como o Gomez é um tradicional microfone "ribbon", seu padrão polar de captação é um fixo figura de 8, e por esse motivo fiz alguns testes extras. Comecei usando-o em todos os posicionamentos e técnicas que considero padrões e tradicionais e, em seguida, refiz todos estes testes, porém, com uma ambiência totalmente fechada.
Impressões iniciais? Bem, quando se trata de guitarra, a sonoridade comparativa óbvia é o Shure SM57, e perto deste, o Gomez soa muito menos "colorido", soa muito menos plástico e artificial. Ele capta com muito mais fidelidade a sonoridade do amplificador/caixa, soando de forma muito mais real e com um espectro muito mais completo, porém, com muito menos "imediatividade" e menos "na cara" que um SM57 por exemplo, dado seu padrão polar. Eu tô amando pois o microfone é mais que impressionante! =)







Meses atrás, eu havia lido um artigo do Adam Johns falando sobre o próprio Michael Joly e as mágicas alterações e reparos que ele realizava em microfones. Conversando com umas pessoas e lendo alguns outros artigos descobri uma modificação que estava começando à tornar-se um tanto quanto popular entre os técnicos de estúdio. Trata-se da remoção do transformador de um clássico SM57. Pois bem, acompanhem meu raciocínio. Quando alguém estica a mão para pegar um SM57 é porque ele já sabe o que esperar dele, mas ao mesmo tempo, dada a multi-funcionalidade e custo-benefício do SM57, cada estúdio possui pelo menos uns 3 deles. Esse é meu caso e por isso resolvi realizar a cirurgia plástica, algo que eu não faria se eu não possuísse mais que um par. Realizar a modificação é chato e leva tempo mas não tem mistério.
Agora finalmente pude realizar os testes e tirar minhas próprias conclusões sobre os resultados da modificação. Para tanto, realizei todos os testes do Transformerless SM57 ao lado de um SM57 padrão. Bem, posso dizer que ele se torna outro microfone, uma vez que a sonoridade da versão sem transformador pouco lembra a sonoridade do SM57 padrão. É como ter um microfone novo! Enfim, ele soa mais aberto e captura uma faixa muito maior do espectro, principalmente nas frequências mais baixas. Soa mais neutro, menos "colorido" e sem aquele ganho tradicional na região médio-alta do SM57 padrão. Outro detalhe, é que a remoção do transformador faz o microfone perder 10dBs. Isso pode ser preocupante, porém, como o uso padrão de um SM57 inclui quase que exclusivamente fontes sonoras que já possuem alto SPL, aliado ao fato que os pré-amplificadores modernos possuem toneladas de ganho e são geralmente muito silênciosos, essa desvantagem praticamente desaparece. Eu gostei! Pois ganhei um microfone novo! =)







0 comentários: